sábado, 21 de abril de 2018

CORAÇAO ACELERADO


  • O Meu coração bate à golpes de machado em mourão. Agora já sem motivo e sem controle. O meu coração de menino está cada vez mais menino. Acelera, corre sem destino certo, bate, tropeça, cai, se levanta. Meu coração está descompassado com meu corpo. Desobediente aos comandos prudentes, sai como um cachorro solto pela relva, pula, teima em trombar em si próprio. O meu coração salta do peito como naquele instante mágico , frações de segundo, do primeiro beijo, lábios se tocando levemente e coração saindo pela boca. O meu coração de homem está cada vez mais distante dos problemas do mundo, está cada vez mais perto de querer o que não conhece, ou o que conhece de saudade. E bate sem qualquer cerimônia , sem dó nem piedade, como um menino arrastando um velho, sem maldade, mas com vigor impensado de que eu já não o acompanho na mesma velocidade. Mas quem sou eu para comanda-lo. Vai coração, cantando "Bem-te-vi, Bem-te-vi " até onde Deus quiser que você pare. ( Olinto Campos Vieira)

Nenhum comentário: