terça-feira, 20 de junho de 2017

O Banheiro do Congresso Nacional I

Um homem de verdade nunca é preguiçoso.
Mas preguiça não quer dizer nada fazer
Preguiça é passar pelo mundo fazendo
Os mais preguiçosos são os que mais fazem
A qualquer hora do dia e da noite, eles fazem
Em momentos inimagináveis, fazem
Um preguiçoso não se contem
Produz o que mais povoa o mundo
A má política, o entretenimento fútil
Toda série de coisas ruins,
Eles fazem por dinheiro, cobram caro
A preguiça faz do genio um fazedor
Mas um homem de verdade não precisa nem ser notado
Como a maioria não é.
E chamo de homem quem vive a vida
Fazendo o bem.
Quando faz o mal sufoca, quase morre.
Não se contenta enquanto não se redime
Redenção consigo mesmo,
Homem mesmo chora a dor.
Homem mesmo sabe quando errou;
Já os preguiçosos se sentem certos.
Diferente do que pensam,
Os preguiçosos não param de trabalhar
Trabalham a obra tenebrosa e fétida
Insignificante e de vida curta
Trabalham até espumar os cantos da boca
Trabalham até suar as têmporas
Alguns querem ser diferentes mas já não podem
Por que o habito de produzir já os consumiu
Até quem pensa que não está fazendo,
Quando menos se espera, la estão eles na labuta
Duas três, quatro vezes, fazem.
E fazem gemendo ou silenciosos
Urrando ou olhando o chão. O chão.Estão no chão.
E enquanto fazem não pensam senão no que fazem
Concentrados, animados, vantajosos
Soberbamente eufóricos com o tamanho do que fazem
Orgulhosamente, olham o que fazem, gostam do que veem
E consigo dizem, os preguiçosos: Eu fiz! Fiz! Sim, fiz!
Somente aí desapegam-se da obra.
E apertam o botão da descarga.
Vendo a obra escorregar, dançando cano baixo, rodando.
'E logo então, saem por ai a produzir mais,
Governam sem temperança súditos mais preguiçosos ainda
formam legiões, vão a guerras
estão destinados a historia de pequenos mundos transitórios
cantarolam sem parar musicas sem sentido
eles não se cansam de esperar a próxima tragédia particular 
fuçam todos os sites em busca de escândalos
os homens preguiçosos alardeiam sobre si mesmos,
historias que nunca viveram
livros que nunca leram, filmes que nunca viram.
Deitam cedo e sonham com o cotidiano
que moram em suas mentes como peste.
O homem de verdade não precisa buscar
na memoria a verdade que viveu
Assim não precisa repetir mentalmente quem ele é.
O homem preguiçoso obra em tudo que faz 
e esparrama isso em um mundo cheio de inutilidades.
Tenta decorar a historia que conta, 
no interesse de manter a mentira como verdade.
o homem de verdade versa sobre si na pratica do bem,
o preguiçoso versa sobre a pratica do bem do outro.'

Olinto e Lincoln Campos Vieira

Nenhum comentário: