terça-feira, 20 de junho de 2017

Pessoa

Pessoa, Pessoa
Não criaste apenas nomes
Recebeste Pessoas
Uma só não bastava
Outras precisavam existir
Eu sei, somos todos nós
Adivinhaste , Pessoa!
Mais!  Leste algumas almas,
Recebeste o furor de uns, a mansidão de outros
Num só Pessoa, em mil se multiplicaram.
E sofreste, Poeta, as dores de todos.
Choraste minhas lágrimas, anteviste meu desterro
Eu não soube perceber.
Os poetas sofrem e você muito mais,
Por que não vivem as palavras
Vivem o sentimento, aflorado, latente
Não é apenas a palavra, é o que ela invoca
Traduziste, trabalhaste, gravaste e viveste.
“Poetas do mundo, reuní-vos”
Foste tu quem chamaste para si este legado
Não nos deixaste nada, estás aqui.
Porque em todo poeta há Deus
Adeus no poeta não existe
Por que eles são chegantes, apenas. Não partem
Não há poeta indo, abra um livro e veja
Veja sempre um poeta chegando.

(Olinto Campos Vieira)

Um comentário:

jair duarte pêgo junior disse...

Gostei demais... principalmente as linhas finais! Uma beleza de inspiração...