sábado, 25 de julho de 2009

A fome

Esse poema, do grande Manuel Bandeira, li a primeira vez aos 11 anos de idade e foi ele quem me apresentou a realidade crua do mundo:


"Vi ontem um bicho

Na imundice do pátio

Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa;

Não examinava nem cheirava:

Engolia com voracidade.
O bicho não era um cão,

Não era um gato,

Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem."


Rio, 27 de dezembro de 1947

Nenhum comentário: