terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Seu Adolfo e os 72 milhões

Do blog do Ricardo Kotscho
"Vamos falar de coisa boa, que também tem. É só procurar que a gente acha. Depois de correr as páginas da internet e dos três jornais que consegui comprar hoje, encontrei a bela e feliz história de seu Adolfo, o jardinheiro de 78 anos, morador da rua das Orquídeas, no bairro de Serra Pelada, em Santa Rita do Passa Quatro, a 260 quilômetros da capital paulista, um dos dois ganhadores do maior prêmio já pago pela Mega Sena.

Quem nos conta a história do trabalhador humilde, pai de 11 filhos, que de um dia para outro acordou com R$ 72 milhões no banco, é a repórter Flávia Tavares, na página C9 do Estadão desta primeira terça-feira do ano. Seu Adolfo continuava acordando todo dia às 4h30 da manhã para ouvir músicas no rádio e se preparar para mais uma jornada de trabalho: cuidar da casa de um advogado da cidade.

Por que as pessoas saem todo dia cedo de casa para trabalhar, até mesmo as que estão aposentadas outêm renda suficiente para não fazer mais nada na vida a não ser ver a grama crescer no jardim e ouvir os passarinhos no quintal? “Eu só trabalho para pagar minhas contas”, é o que costuma dizer a maioria das pessoas quando fala sobre a sua rotina diária.

No caso de seu Adolfo, como é que fica agora? A exemplo dos milhões de brasileiros que jogaram nesta milionária Mega Sena da Virada, eu também fiquei pensando nos últimos dias do ano o que faria da minha vida se ganhasse uma bolada dessas. Não cheguei a nenhuma conclusão. Estou tão acostumado com a minha rotina de jornalista há 45 anos que virar milionário assim de repente poderia até me trazer novos problemas: o que fazer com tanto dinheiro?
Pois seu Adolfo nunca teve estas dúvidas existenciais. Ele sabia há muito tempo o que fazer com o dinheiro, como relata Flávia Tavares:

“O que todo mundo sabe é que o sonho de Adolfo sempre foi comprar a fazenda de café onde foi criado e trabalhou como caseiro. Eu encontrava ele na lotérica toda semana e ouvia: “Tá aqui o meu joginho pra comprar a Santa Urbana” ´, lembrou, com olhos marejados, Sônia, uma vendedora de Santa Rita”.

Seu Adolfo e a família sumiram de Santa Rita do Passa Quatro assim que receberam a notícia do premio, mas na cidade corre o boato de que os donos da Santa Urbana pediram R$ 4 milhões pela fazenda e o novo milionário teria oferecido um milhão a mais. Que grande diferença vai fazer para ele, a esta altura, pagar um milhão a mais ou a menos?

E você, caro leitor, já pensou o que vai fazer no dia em que ganhar na Mega Sena? Estes tempos de começo de ano sempre são bons para sonhar e fazer planos, não custa nada…Autor: Ricardo Kotscho

Nenhum comentário: