segunda-feira, 3 de novembro de 2008

DEMOCRACIA

Muita gente pensa que democracia trata-se apenas de uma palavra; aliás, é uma das palavras mais pronunciadas no Brasil. DE-MO-CRA-CIA. Eita palavrão danado de bonito!
Quer dizer: O Povo (DEMO) no Poder ( CRACIA).
Faz parte de qualquer discurso ou trabalho escolar de respeito. Político que se preza, tem que trazer a democracia na ponta da língua. Mas o que mesmo significa democracia, NA PRÁTICA? Nós, brasileiros, estamos engatinhando ainda para saber. Um estudo das Nações Unidas, revelou que sessenta por cento dos brasileiros não sabe o que quer dizer nem a palavra democracia.
Faz sentido!
No Brasil, até bem pouco tempo atrás não sabíamos o que era escolher o Presidente da República! Sabe-se lá o que é isso? É o cúmulo da falta de competência de um povo ( e mais ainda de que o liderava). Bem que a música do Ultrage a Rigor dizia, em um admirável deboche: A gente “não sabemos” escolher presidente, a gente “não sabemos” tomar conta da gente, a gente “não sabemos” nem escovar os dentes, tem “gringo pensando que nos é indigente”. Inútil, “a gente somos inútil.”
Olha que até mesmo os erros de português dessa música, (que os autores colocaram propositalmente) confundia a cabeça do povão, que não tinha acesso a educação, à cultura.. Esse Brasil vive de paradoxos. Lutamos, lutamos e lutamos para conseguir eleições diretas para presidente e depois que elegemos o primeiro, pintamos a cara e fomos para a rua para tirá-lo do poder.
Tem coisas que só acontece aqui no Brasil mesmo. Às vezes, o triste é que ler a Constituição Federal dá vontade de rir. Querem ver?
Art. 5º: Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade.
Olha outra pérola que esta na Constituição:
"São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social o salário mínimo , fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim."
Do que estávamos falando mesmo? De Democracia?

Nenhum comentário: