terça-feira, 11 de novembro de 2008

GELAAADA!

Uma ação civil pública impetrada pelo Ministério Público Federal de São José dos Campos cobra das três cervejarias em operação no país - Ambev, Schincariol e Femsa - uma indenização de R$ 2,8 bilhões por danos causados pelo aumento do consumo de cerveja e chope no país. Segundo o MPF, o pedido de indenização abrange danos causados em todos os estados brasileiros.

Na ação proposta à Justiça Federal, o procurador da República Fernando Lacerda Dias argumenta que os investimentos maciços em publicidade para aumentar as vendas têm efeitos danosos à sociedade e um deles é o aumento no consumo de bebida alcoólica por pessoas cada vez mais jovens.
As empresas investem para que as pessoas bebam mais e mais cedo e devem ser responsabilizadas pelos danos que causam - diz o procurador. Na avaliação dele, não se trata de um incentivo direto aos jovens, mas de associações a padrão de alegria, inserção social e até desempenho sexual cujo objetivo é justamente despertar neles o interesse pelo álcool.

A ação inclui pesquisas e textos científicos sobre o assunto. Uma das pesquisas citadas é a da Unifesp, feita com pré-adolescentes de 12 e 13 anos, que concluiu que a maioria deles presta atenção na publicidade das cervejarias e acredita nela. Realizada entre agosto e novembro de 2006 com 1.123 pré-adolescentes em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, o levantamento mostrou ainda que a publicidade estava fortemente associada à ingestão de cerveja pelos entrevistados nos 30 dias anteriores.

O procurador afirma que a ação civil pública não questiona também se a publicidade das cervejarias é lícita, pois ainda que seja lícita ela causa danos.

Entre os danos relacionados estão mortes violentas e homicídios, dependência química, acidentes de trânsito, violência urbana e doméstica e até mesmo problemas profissionais. Para o promotor, os problemas aumentam justamente por conta do maciço investimento em publicidade, surgindo então a necessidade de indenização.

Segundo o MPF, o Sistema Único de Saúde (SUS) gastou, entre 2002 e 2006, aproximadamente R$ 37 milhões com tratamento de dependentes de álcool e outras drogas em unidades extra-hospitalares, como os Centros de Atenção Psicossocial - Álcool e Drogas. Outros R$ 4,3 bilhões foram gastos em internações hospitalares relacionadas ao uso de álcool e outras drogas no mesmo período.

Nenhum comentário: