sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Agnus Dei - "Cordeiro de Deus" e a Humildade

Este texto aqui embaixo, após essa dissertação sobre a ovelha, que é do Ebenézer Munguba, fez parte de uma coluna que escrevi no "Jornal Carajás", meses atrás. As colunas refletem meu pensamento e um dia quero reuni-las.

A ovelha, depois do homem, é o animal mais dependente que existe. Não possui um senso de orientação aguçado se perdendo com facilidade do rebanho tornando-se alvo fácil das feras do campo. Ela necessita a todo instante da presença segura do pastor para se sentir tranqüila.Seu amor pelo pastor é demonstrado no fato de ouvir a sua voz e conhecê-la.

Sendo leal a seu dono ela descansa ao ver o cajado, pois sabe que onde estiver o cajado, o pastor está. A ovelha anda em bando e depende dele. É um animal de natureza comunitária. Por não saber andar só e ser pouco inteligente, berra muito alto quando se perde, mas, na eminência da morte se limita a derramar uma lágrima singela.

A ovelha ensina que a humildade de espírito implica no reconhecimento de total dependência de Deus, de que, sem Ele, se anda perdido na existência. Na Sua presença se pode descansar.


"Hoje em dia, para se ter sucesso em qualquer área, o que não podemos nunca fazer é deixar a soberba, antipatia e arrogância tomar conta de nossos atos. Ser humilde, além de ser um sinal claro de sabedoria é uma maneira muito mais leve de levar a vida.

O prepotente precisa sempre estar mostrando para todos que é o mais sabido, o mais bonito, o mais importante. O humilde não, porque a simplicidade conquista as pessoas, faz com que se tenha mais aliados, mais defensores. Além do mais, ser simples faz com que não precisemos sempre estar passando por testes de superioridade, evitando assim os confrontos e a competição.

Quando se é fácil no trato, as derrotas não são tão avassaladoras e sequer necessitam de explicação. A pessoa que se julga super-ultra-hiper em tudo, quando sofre um revés, tende a demorar mais para se levantar. Feliz daquele que traz em si a aura da facilidade no trato com as pessoas porque todos os seus anseios, por mais difíceis que possam parecer, ficam mais perto do sucesso.

Então, compreendo que são felizes aqueles que não precisam se degladiar com ninguém para fazer valer o seu pensamento. Basta ter uma confiança em si mesmo suficientemente forte para não se deixar abalar com as dificuldades impostas pelos próprios atos."

Nenhum comentário: