segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

W. Torre fala

Trecho da entrevista que os empresários do grupo W. Torre ( Walter Torre e Paulo Remy), responsável por grande empreendimento em Parauapebas, concederam ao Jornal Gazeta Mercantil e que o Zé Dudu publicou na íntegra:


Gazeta Mercantil - Há quatro anos, a empresa lançou um plano estratégico para 2010. Como está o cumprimento das metas?

PR - Superamos todas as metas já no início de 2008. Nosso plano era ser líder no mercado de "commercial properties" (edifícios comerciais) e hoje somos, seja por metro quadrado, seja por receita. Também tínhamos como objetivo diversificar nossas operações. Naquele momento tínhamos 90% do negócio focado em engenharia e construção de edifícios comerciais, e já consolidamos nossa entrada no mercado de residências de baixo custo, com a Guanandi. Tínhamos como meta participarmos mais em infra-estrutura e vencemos duas licitações de rodovias, com a BRVias, empresa na qual temos 1/3 de participação. Também queríamos entrar no segmento de navios e já começamos a construção do maior dique seco no Rio Grande do Sul.

Gazeta Mercantil - Qual era a meta para o faturamento?

PR - Queríamos chegar em 2010 faturando R$ 1 bilhão e já batemos este valor em 2007.

Gazeta Mercantil - É um momento ruim para a companhia?

WT - Não, na verdade, é ruim falar que esta parada é boa para uma empresa como a nossa, que está crescendo a um ritmo acelerado, mas é um tempo para corrigir desvios de rota e conseguirmos ver o que estamos em excesso. Até adiamos nossa mudança de endereço da sede. Íamos para um prédio nosso na marginal do Pinheiro, um edifício dentro da nossa linguagem moderna de escritórios. Agora, vamos esperar mais um pouco.

PR - Nós já tínhamos programado um processo de revisão, só que agora vamos aumentar ou não a dose do aperto, em virtude das perspectivas. Mas estamos nos preparando para continuar sonhando e sermos audaciosos, dentro das novas regras dessa nova economia. Obviamente, sabemos que vamos ter que usar mais a inteligência, a criatividade e o jogo de cintura para poder atingir nossos objetivos. E temos feito coisas bastante inovadoras.

Gazeta Mercantil - Por exemplo?

WT -
Vamos lançar um shopping em Parauapebas, e para entender onde fica, digamos que o empreendimento é cercado com telas para que as onças não entrem. Fica a mil quilômetros de Belém (PA). Estamos fazendo, com a Guanandi, um projeto com 18 mil casas, uma Pasárgada, a cidade dos sonhos, com tudo o que aprendemos que é o ideal para se viver socialmente bem. Um lugar perfeito para fazer um teste do que queremos implantar em todo o Brasil. É um projeto piloto no lugar mais difícil possível.

PR - É uma cidade de 130 mil habitantes que terá 200 mil habitantes, bem no meio da Amazônia.
...

Um comentário:

Bruno Soares disse...

Este projeto da W. Torre, para mim, será uma referência mundial na questão sustentabilidade ambiental, agregando valores sócio-ambientais, permitindo aos futuros gestores municipais a implantação de um padrão urbanístico adequado a região amazônica, que temos a honra de viver.